Entrevista à Revista Z/O

Confiança entre paciente e dentista ajuda a acabar com o medo do tratamento

revista

Boa parte das pessoas que procuram por atendimento odontológico são obrigadas a lidar com duas situações bastante desagradáveis. A primeira é o medo natural com relação aos procedimentos do dentista e a segunda da vergonha em demonstrar esse medo. Mesmo diante desse quadro, alguns decidem enfrentar o problema sofrendo calados todas as aflições daquele momento. Outros, no entanto, tentam "escapar do problema” e adiam a consulta indefinidamente. O resultado disso é que, muitas vezes, um procedimento simples, transforma-se em um tratamento longo e mais oneroso.

Acostumada a acompanhar esse tipo de situação em seu consultório, a Dra. Marly da Silva Rodrigues, estabeleceu uma rotina de atendimento na qual o paciente não fica constrangido em demonstrar que tem medo. Aos poucos, com muita conversa e paciência, a Dra. Marly determina a terapia adequada e cria uma relação de confiança entre ela e o paciente. Desta forma, boa parte das aflições iniciais desaparecem e o atendimento flui de forma tranqüila, sem sobressaltos.

 "Certos pacientes relatam que têm medo de sentir dor, outros não suportam o barulho do ‘motorzinho’, ou temem a anestesia. Essas são as queixas principais, mas existem outras. O interessante é que em muitos casos esse medo é infundado, pois é baseado em relatos de outras pessoas”, explica a Dra. Marly. 


Respeitando a individualidade de cada um, ela vai criando mecanismos que ajudam o paciente a superar os problemas relacionados com o tratamento dentário. Ao lado da sala do consultório, por exemplo, a Dra. Marly criou um local para relaxamento, onde a pessoa pode ouvir uma música agradável, conversar sobre o que o aflige no tratamento e até utilizar a hipnose como terapia, se necessário.

Uma das formas de estabelecer o entrosamento com o paciente é a informação. A Dra. Marly procura apresentar à pessoa a importância de cada etapa do processo, a função de produtos e equipamentos e a forma como será feito cada procedimento. Outro aspecto que facilita a vida daqueles que buscam atendimento em seu consultório é a ausência de espera. As consultas são agendadas sempre com um intervalo maior em cada uma. Desta forma, ninguém fica sentado na sala de espera ouvindo os ruídos do consultório, enquanto aguarda seu horário. Segundo ela, esse período anterior à consulta também é apontado por pacientes como fonte de stress e ansiedade.


Outro problema relatado por pacientes refere-se à incerteza sobre como informar ao dentista a ocorrência de dor que a pessoa venha a sentir enquanto está na cadeira. Para ajudar a eliminar essa insegurança, a Dra. Marly criou uma série de desenhos com as quais a pessoa pode indicar a ela, o grau de dor que está sentindo em diferentes situações.

"Todo o meu trabalho é baseado em oferecer segurança e tranqüilidade ao paciente. Talvez o horário de consulta daqueles que vem ao meu consultório não seja o compromisso mais agradável do dia, mas para a grande maioria passou a ser algo comum, ajustado com naturalidade e rotina de cuidados que a pessoa tem com sua saúde”, afirma a Dra. Marly.

revista A Dra. Marly recentemente colocou seu endereço na internet  para melhor informar às pessoas que um tratamento odontológico pode ser realizado com sucesso apesar das suas angustias. Ela coloca também à disposição seu telefone para aqueles que preferirem tirar suas dúvidas.